quinta-feira, julho 12, 2007

A velha na grama

Amor, eu te agradeço. Por me habitar sublime. Por me arrancar da cama. Por me mostrar semana possibilidades. Vem assim, chama e quintal – feira de tomate e carne. Vermelho, vermelho é o amor. Que ignora os termômetros, que atrasa o juízo para dar um passo a mais para a alma perneta. Sou aleijado, sou a febre do futuro. E tenho medo porque de santo não tenho nada.

E de santo não tenho nada porque cada luz é um tormento. E como Adoniran cantou: de vez em quando a luz da Light pifa e a gente apela pra vela. E muitas vezes o jeito é sambar no escuro. E entre amarelo-branco e trevas, cada dia me visita, faz sacolejo.

Hoje eu vi uma velha deitada na grama da capital. Parecia uma rainha, uma deusa engelhada. Grama e velha secas pelo castigo do sol, pela aventura de se expor ao tempo como um desejo ausente. A velha cocegava na sola do pé do meu olho que, sem reflexo, dormia, mas nem por isso eu deixava de ver. E era como se toda a secura dormisse junto, numa espécie de solidariedade insana. E eu me vi poste apagado, sem vela e sem velha. Fui pra casa e chorei.

Eu penso que a vida é uma arte. Uma arte cheia de amor. E amor é graça, brandura, mas também é tristeza. Amar é ter coragem de ver, saber que o choro não representa o fim de nada. Apenas molha a terra da alma, para que faça brotar o sentimento do mundo.

Marcadores: , ,

13 Comentários:

Às 3:48 AM , Anonymous Erika disse...

A maioria das pessoas acha que chorar é sempre tristeza... mal sabem as pessoas que as lágrimas de alegria que brotam e rolam, molham o chão como chuva abundante...

Lindo demais seu texto.. brotaram lágrimas de alegria aqui.

Beijo

 
Às 4:27 AM , Blogger Bárbara P. disse...

Guto, honey, que texto é esse? Uau. Demais demais demais. Amei mesmo!

Tudo perfeito nele.

 
Às 6:29 AM , Blogger aNNaFLaVia disse...

Caramba! Texto mais lindo esse, Guto! Lindo demais.

Beijos

 
Às 7:04 AM , Anonymous R. Paschoal disse...

Fabuloso, rapaz.

As lágrimas, infelizmente, são associadas a tristeza, o que é uma pena.

Lágrimas de felicidade são mais belas que alguns sorrisos!

Abração!

 
Às 9:05 AM , Blogger Moacy Cirne disse...

O seu comentário no Balaio (grato pela visita) chamou-me a atenção. Curioso, vim dar uma olhada no seu blogue. E gostei do que vi, do que li. Uma escrita correta, sem cair no lugar comum. Temas interessantes, nada me pareceu gratuito. Em outras palavras: voltarei. Um abraço.

 
Às 2:23 PM , Anonymous Mineira disse...

Olá! Pelo que ví, a maioria dos comentários elogiam o finalzinho do seu texto... faço coro aos demais, mas devo lhe confessar, mesmo correndo o risco de ser tida como pouco inteligente, mente pequena e tals, que eu não consegui entender o seu texto... só o último parágrafo... estou com vergonha de admitir... eu bem poderia ter ficado na minha, sem comentar, mas, sei lá, deu vontade...

Voltarei mais vezes, ando precisando de uma boa leitura, e aqui já ví que encontrarei...

 
Às 8:10 AM , Blogger Guto Melo disse...

Oi Moacy, pode se aprochegar. Gd abraço.

 
Às 5:29 PM , Blogger Guto Melo disse...

Ô Mineira, é porque eu escrevo correto e penso torto. Mas quem sabe você voltando se acostuma.

 
Às 1:10 AM , Anonymous Ro Druhens disse...

Num sei comentar, num consigo. Fico abestada, sacumé? É bonito demais, demais, demais. Melhor agradecer o privilégio de ler essas maravilhas. Beijo

 
Às 8:15 PM , Anonymous Mineira disse...

Guto, estou voltando sempre, adorei seu blog!

Estou me deliciando com seus textos...

Como lhe disse antes, eu bem que estava precisando de uma boa leitura, e encontrei aqui!...:)
...

 
Às 2:46 PM , Anonymous Edson Marques disse...

Guto,


"Amor, eu te agradeço
por me habitar sublime".


Belíssimo!

Tanto, que até me deu vontade de perguntar, inocentemente:

Você se refere ao amor do outro (dela) que te habita vindo de fora, ou ao amor-sentimento que já nasceu dentro de você mesmo?




Abraços, flores, estrelas..


.

 
Às 4:38 PM , Blogger Guto Melo disse...

Edson, o texto fala de um transbordamento e da vivência amorosa do ato de olhar.

 
Às 8:49 PM , Blogger Fernanda Passos disse...

Isso.O amor, as lágrimas....sentimentos que brotam, germinam e fazem germinar.
Lindo o texto.

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial