quinta-feira, junho 21, 2007

Comprar calças


Minha derme incêndio
Meu tambor milênio
Contemporaneamente mordendo o dente

Invento o cais e não sou Milton
Sou qualquer coisa Caetano longe de mim
Há de surgir uma estrela além de Gil
E se Roberto cantasse não fique triste eu não me zangaria

Leveza de sopapo na cara lisa (minha!)
Certeza é ganhar na loteria
Sonho bobo no meio do trem
Eu exploro

Os espaços
As distâncias
As mudanças
Os... qualquer coisa Caetano longe de mim

Meio de tudo cidade confusão
Meio de nada casa abrigo de palha
Cheio de convites felicidade estampada
Na blusa da brisa sensual que sopra átomo de vento sobre mim
Fiz o quê?
Poema?
Dilema?
Mitema?
A ema gemeu no tronco do juremá
E as minhas calças comprei ontem na barraca de Dedé.

Marcadores:

8 Comentários:

Às 4:24 PM , Blogger Jane Malaquias disse...

Não posso ficar olhando as tchuthucas penduradas, me dá agonia!

 
Às 4:25 PM , Blogger Jane Malaquias disse...

Este comentário foi removido pelo autor.

 
Às 4:27 PM , Blogger Guto Melo disse...

Estas tchutchucas penduradas são as minhas calças.

 
Às 6:56 PM , Blogger perdidinha... disse...

"Meio de tudo cidade confusão
Meio de nada casa abrigo de palha
Cheio de convites felicidade estampada"

falou tudo...
que foto é essa!
beijocassss.

 
Às 3:35 AM , Anonymous Your Soul disse...

Uma miscelânea musical...rs
Beijos e obrigada pela visita!

 
Às 4:31 AM , Anonymous 'Liina disse...

Dedé?! Onde fica?
Preciso mesmo de novas calças... :D

E se as tuas são essas do varal, tô notando que cê também precisa!

 
Às 8:43 AM , Blogger Guto Melo disse...

'Liina, ri um bocado com o seu comentário. Você foi ao ponto e ressuscitou a charada.

 
Às 8:29 AM , Anonymous Edson Marques disse...

Que texto deliciosamente maluco!





Se você não encontrar razões para ser livre, invente-as.



Abraços, flores, estrelas...

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial