sábado, janeiro 12, 2008

A força vertical na ponta do lápis


- Patrão, quanto custa este sal?
- Custa o que você não tem.
- Então estou condenado ao arroz com feijão insosso.
- Não é bem assim.
- Me explica como funciona.
- Você pode levar este sal, que também será seu débito.
- Mas se não tenho para comprar, não tenho para dever.
- Para dever sempre cabe mais.

O devedor foi para a ponta do lápis traçar a mais tosca matemática. Viu em sua frente a lógica aritmética da mentira. Colocou o lápis atrás da orelha, coçou o queixo. Decidiu-se pelo sal, apesar dos pesares.

Marcadores: ,

9 Comentários:

Às 4:08 PM , Blogger Morganna disse...

ficar insosso não pode. :]

 
Às 7:20 PM , Blogger Cristiano disse...

Mas ele tinha que comer neh?
:(

 
Às 2:38 AM , Blogger Lidiane disse...

E eu pergunto a você, querido Guto: qual o sal da terra, enfim?

Beijo.

 
Às 3:30 AM , Blogger Guto Melo disse...

Lidiane,

aguarde o próximo post.

 
Às 6:34 AM , Blogger Valerie disse...

"para dever sempre cabe mais"
minha fatura do cartão de crédito que o diga!

 
Às 3:15 PM , Blogger Rogério Felício disse...

Que sal salgado hem...

 
Às 10:56 AM , Blogger Claudio disse...

Assim ainda são as relações comerciais vigentes. Principalmente as que envolvem primeiro e terceiro mundos.
Abração

http://oucabem.zip.net

 
Às 12:25 PM , Blogger FINA FLOR disse...

sei como é!

rsrsrs*

beijos e bons ventos nesse começo de ano, meu caro

MM.

 
Às 2:32 AM , Blogger L.S. Alves disse...

E dessa forma tem um monte de gente escravizada no Brasil.

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial