terça-feira, dezembro 12, 2006

Brincadeira de Girar

Duas meninas brincam em frente à minha janela. Uma joga areia na outra e repara no vestido e na blusa da outra. Foi minha tia que costurou e botou renda. Tia da mais sapeca. O teu veio de onde? O meu é fruto dos remendos que se beijam. Ah, como é bom ter vestido remendado que se embola com a areia.

Segura no meu braço, vamos brincar de girar. Vamos ficar tontas até cair. Não é assim que os adultos fazem quando bebem demais? Pois é, o nosso álcool é a nossa alegria. Ai, Mariana, assim também já é demais. O último tombo me deixou um corte no joelho que ainda não sarou direito. Aliás, foi um rombo de ferida. Desse jeito não posso. Não gosto de brincadeira que dói.

Mas Ledinha, tua dor não foi sem riso. Acende tua fantasia que o joelho já é coisa do passado. Nós não temos mais tanto tempo de infância pela frente. Logo, logo o sangue escorre pelas pernas e a gente muda de fase. Então: esquece e vem girar.

Giro com uma condição. Qual? Pede pra tua tia bordar uma roupa pra mim. Ah, não! Minha tia é a minha grife. Você não quer dividir o giro? Pois bem, divida também o bordado. Tá certo, e o que você quer que Tia Jurema borde? Uma calcinha. Calcinha? Calcinha. Arrumou namorado? Sem quê. Conta vai Ledinha. Vamos girar? Com uma condição. Qual? Como é que você faz os remendos se beijarem? Com língua de trapo e saliva de rodilha. Vamos girar? Vamos girar.

Marcadores: , , ,

4 Comentários:

Às 5:16 AM , Anonymous Gabriel Maimoni disse...

ótimo, muito legal, massa mesmo. Cativante, interessante

 
Às 5:17 AM , Anonymous Gabriel Maimoni disse...

Gosto do que você escreve, seu puto, tu vai ser um escritor de sucesso

 
Às 5:46 AM , Blogger sara lee disse...

ficou lindo
me lembrou eu e minha única amiga menina.
ficou lindo
e vc vai mesmo
seu puto, ser um escritor de sucesso, hehehehehe

 
Às 4:37 PM , Blogger Jane Malaquias disse...

Eu sempre quis fazer uma tatuagem de joelho ralado.

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial