sábado, dezembro 16, 2006

Hotel Sete Estrelas

Um viajante milionário, não muito satisfeito com as hospedagens em suas andanças, descobre um embrião de hotel sete estrelas em um lugar com muita ópera, cifras célticas e uns cabelinhos de neve.

- Quando você vem ao mundo?
- Espera mais três meses, responde o embrião. E emenda - Pois é viajante, como não sou bobo nem nada, tratei logo de criar uma forma de auto-atribuição, já que não existe uma definição mundial para a categoria. Sou sete estrelas, mesmo antes de nascer. Um dia dentro de mim custará pelo menos cinco mil eurodólares.
- Quanto a isso, não há problema. Sou um alto dignitário da corte do grão-mogol, sedento pelo fausto e pagante de lábias.

Considerando que o montante de dívida hoje existente no planeta é cerca de seis vezes maior do que a sua capacidade de produzir riqueza e que o estoque atômico dos Estados Unidos, Rússia, Índia, Irã, Paquistão, Coréia do Norte e outros países daria conta de destruir oito planetas Terra, não vejo muito futuro em tanto luxo - diz um intrometido costureiro de metáforas que estava de passagem e casualmente ouviu a conversa.

Ele continua. Se estamos fadados à falência, não por incompetência, mas por uma questão de lógica, ou se corremos o risco de sermos exterminados caso alguém resolva soltar um peidinho em algum dos cantos atômicos deste vasto mundo de meu Deus, seria melhor aprendermos a não contar as estrelas.

Meu amigo, não se meta a invocar os colapsos do mundo (o embrião de hotel fala baixinho para que o viajante não escute). Esta é uma técnica internacional que cola em qualquer parte, mesmo que o serviço oferecido não funcione. Então, retire-se. E se quiser se divertir invente suas próprias abstrações.

O costureiro vai embora, consciente de que cumpriu a sua missão. Já a uma certa distância ouve uma voz oferecer-se como seda - O Sr.viajante quer fazer uma reserva?

Marcadores: ,

4 Comentários:

Às 3:20 AM , Blogger sara lee disse...

ok, estou oficialmente com inveja do teu talento para absurdos que fazem sentido.

 
Às 12:26 PM , Anonymous Carole Galindo disse...

Amigo, seu texto é uma cachaça! Rico em metáforas, poético, humor refinado, ágil, inteligente e articulado com o mundo e o espaço. A partir de agora serei uma leitora assídua do seu blog, ok?
Saudades, Carole.

 
Às 2:57 PM , Blogger Guto Melo disse...

Carolinda!

Saudades de vc tb.

 
Às 4:35 PM , Blogger Jane Malaquias disse...

Sete estrelas para:
sair do avião e ir por um túnel subterrâneo até o seu quarto.
Quarto ejetável a prova de bombas atômicas e tsunamis.Em caso de catástrofe o quarto voa até o sete estrelas mais próximo.
No serviço de quarto tapioca de Olinda, acarajé da Bahia e baião de dois do siará.

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial